“Rei Laudamuco, Senhor de Nenhures” de Roberto Vidal Bolaño

Rei Laudamuco, Senhor de Nenhures

Espetáculo para M/12 anos

Não há amo sem criado, nem criado sem amo.

Os momentos finais de um rei decadente, Laudamuco, que apenas tem a seu lado o seu último servidor, que se dedica totalmente a seu senhor. Um rei déspota que é destronado e condenado à morte, e não obstante, o seu servo mais fiel segue-o e serve-o ainda, tentando agradá-lo e entretê-lo com a ilusão que, todavia, ainda é poderoso. A mulher do criado procura chamá-lo à razão, mas acaba por ter de participar também neste teatro improvisado.

O texto aborda, como uma das características dessas relações de poder, os supostos valores morais (a fidelidade, o espírito de serviço, o servilismo, etc.) que fazem possível a existência do poder. Uma visão das estruturas de poder e dos seus recortes essenciais, feito não só desde a perspetiva de quem tem o poder, mas também de quem mantem quem está no poder. Uma denúncia da passividade perante a opressão e a tirania, a servidão e a escravatura moral e ética.

Ficha Artística e Técnica

Encenação: Jorge Alonso

Assistência de Encenação: Jéssica Moreira

Interpretação: Alexandre Martins, Jéssica Moreira e Simão Luís

Dispositivo cénico e Figurinos: Jorge Alonso e Liliana Barbosa

Desenho de luz: Rui Gonçalves

Sonoplastia: Marco Lima

Construção do cenário: Porfírio Barbosa

Produção Executiva: Carla Magalhães

___________________________

Duração: 60 mns

05 de junho de 2015 [Estreia] -Teatro Municipal Valadares, Caminha.